Jogo da Vida em RGB (2015) é um objeto interativo, um tipo de brinquedo que propõe a construção de sentenças a partir das combinações de sujeitos e referências de tempo e espaço.

 

Estrutura-se sobre quatro tríades, sendo três delas de signos verbais (pronomes e advérbios) e a quarta com as cores básicas da luz, vermelho, verde e azul, que funcionam como fio condutor para a construção da frase. Paralelamente, o estímulo visual das cores e luzes, pode render construções gráficas que suplantam a linearidade da sintaxe verbal pela simultaneidade da lógica visual.

 

Organizado em forma de grade de linhas e colunas, o brinquedo faz óbvia alusão ao Jogo da Velha, sendo que no Jogo da Vida não há vencedores nem vencidos, ninguém ganha nem perde. Prevalece sobretudo a disposição de interação lúdica com o objeto e a experiência poética de construção e desconstrução de sentidos.

 

A brincadeira evoca as relações entre o eu e o Outro, as dinâmicas dos encontros e desencontros característicos das relações humanas em suas múltiplas e variadas nuances. Pode ser jogado por um, dois ou três participantes.